Jovem da IBC Bagé recebe bênção da Igreja para participar de desafio da Nasa

A jovem Isabélli Simon, membra da IBC Bagé, faz parte de uma equipe formada por alunos e professores de escola pública que irá apresentar um projeto na agência de pesquisa e exploração espacial dos Estados Unidos, a Nasa. O desafio será realizado no mês de abril, e Isabélli recebeu a bênção da Igreja e de seu pastor para esta grande missão. A equipe foi a única do Brasil selecionada pela Human Exploration Rover Challenge. O projeto que irão apresentar no desafio consiste na criação de um pequeno veículo, chamado de “rover” movido a pedaladas, e que foi desenvolvido pela equipe. Isabélli cursa o 2º ano do Ensino Médio Técnico Integrado em Mecânica, na Escola Estadual Frei Plácido.

A jovem, que tem 16 anos,  já havia visitado outras denominações antes, mas tomou a decisão definitiva  de seguir a Cristo no ano passado, após um período de convivência na IBC Bagé onde fazia aulas de teoria musical. Através do convite de amigos membros da Igreja, sentiu-se acolhida, e, por fim, desceu às águas do batismo, durante o culto do último dia do ano de 2022.

A conquista de Isabélli é um fato inédito dentro de nossa denominação, mas não em toda a história do povo de Deus, pois a Bíblia relata sobre personagens que receberam poder e sabedoria da parte do Senhor. Exemplos como o de José e de Daniel, e, também, do mais sábio de todos os humanos, o rei Salomão, provam que Deus tem prazer em encher seus filhos de inteligência, e que o estudo e o conhecimento abrem portas para a proclamação do reino de Deus, sendo um modo de fazer missões. E é este o desejo de Isabélli, sobre o qual ela compartilhou com o Editorial da CBC.

Editorial CBC: Fale-nos sobre sua expectativa para a viagem, depois de ser apresentada à Igreja e ter recebido oração

Isabélli: Estou muito empolgada para a viagem porque este desafio foi um sonho meu desde 2020. E, também, muitas vezes que eu pensava que o rover não ia ficar pronto, Deus me lembrava de que Ele não me colocou neste lugar em vão e que Ele não vai me permitir passar vergonha com o rover (este era um medo meu e da equipe). Eu também estou feliz por conseguir finalizar o rover e eu sei que esta viagem vai ser marcante na minha vida e que a competição vai ser um sucesso. E no domingo [em que recebeu a oração] eu pude ver os irmãos me parabenizando e orando por mim, o que me fez perceber que muita gente que eu pensava não se importar, na verdade está torcendo e orando por mim.

E.B.: Você acredita que é possível, por meio da ciência, anunciar o Evangelho?

Isabélli: É uma pergunta complicada, porque a ciência, teoricamente, nunca comprovou a existência de Deus. Eu acredito muito que ninguém explica Deus. Então, não importa o quanto se pesquise (a ciência precisa de provas), nunca vamos conseguir explicar completamente Deus […] A ciência consegue respostas sobre “o quê”, mas tem muita dificuldade em responder o “Por quê?”. A vontade que tenho em meu coração é tentar explicar algumas coisas por meio da ciência.

E.B: A partir de quando surgiu seu interesse por assuntos relacionados à ciência? Qual profissão você deseja seguir?

Isabélli: Eu sempre gostei de ciência, em geral, mas foi em uma viagem que fiz aos Estados Unidos, quando eu tinha 11 anos, que  visitei o Kennedy Space Center (uma das bases da Nasa para visitantes) […] Pesquisei algumas profissões e me apaixonei por Engenharia Aeroespacial (que envolve construção de foguetes, rovers, satélites), e cada vez mais Deus tem confirmando isso para mim. Depois que escolhi o curso, passei a fazer olimpíadas científicas de astronomia, matemática, de física […] Durante uma aula de inglês que fiz com missionários, o professor apresentou-se como engenheiro aeroespacial, também sabia inglês, estudava fora e era cristão. Eu fiquei muito feliz e entendi como uma confirmação. […] Minha mãe sempre me explica que eu não preciso ir a lugares isolados para fazer missões, e que eu posso fazer missões no meu trabalho. Mas mesmo que eu queira ir para lugares mais distantes para fazer missões, se eu tiver uma formação com mestrado e doutorado, as pessoas me levarão mais a sério. E isso também diz respeito a saber outras línguas. (Agora eu sei português, inglês e um pouco de espanhol, e ainda estou aprendendo outras). E se eu estudar, conseguirei atingir muito mais pessoas, por meio do Evangelho, falando estes idiomas. A minha mãe me guia muito pelo estudo para evangelizar as pessoas, sabe? E eu aderi este pensamento dela, e eu gosto muito.

E.B.: Já que estamos falando em estudo, você deve conhecer a história de Daniel, um jovem estudioso que foi como “um missionário” na Babilônia. Tem alguma história bíblica que inspira você em seu propósito?

Isabélli: Eu amo a história de Daniel, e, também, a história de Débora porque ela foi uma líder chamada por Deus.

Eu sou a única cristã da minha equipe, mas eles só foram ver este impacto depois que eu me batizei. E depois que me batizei, eu falo sobre Deus e a Igreja, e eles também passaram a perguntar […] Eu não desisti da minha missão de discipulado deles, e todos os dias eu estou lá, falando alguma coisinha, cantando um hino… E assim eu tento fazer a minha parte.

Isabélli foi apresentada à Igreja pelo pastor presidente, Gideão Muniz, de quem também recebeu oração para sua viagem 

A equipe brasileira que participará do desafio da Nasa, no mês de abril 

Isabélli sentiu-se acolhida e incentivada pela Igreja 

Pular para o conteúdo